segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

dissimular

Não mostro meus defeitos para todos que querem ver.
Não dou a cara a tapa a qualquer um que quiser bater.
Sei conter uma lagrima quando preciso,
Sei forçar um sorriso mesmo quando para sorrir não tenho nenhum motivo.

Eu brinco de dissimular
Eu brinco de esconder!
Eu brinco de ser tudo aquilo que você deseja ver!
Mas não sei fingir sentimentos

3 comentários:

Old Bird disse...

Por hora,me pergunto:
-Porque tanta "ríspides"?
Ja se passou um bucado de tempo, tempo esse que cada um seguiu com sua vida à maneira que lhe convém, e garanto, sem intromições.
Porque tamanha agressividade? Quando deveriamos estar sorrindo pelo agradavel que vivenciou, o caus que atormentou...e de fato, pelo que aprendeu, amadureceu, regrediu. Enfim
...
O tempo passou, claro que passaria, como passam as vontade que nascem no outro dia.E tudo mudou.
Inclusive as pessoas, os modos...os sentimentos.Áh como esses daí mudam.
Mudam tanto que fica dificil de tentar dizer o que era antes, e como é hoje.Amanha....ainda não sei
Mas sinto confortavelmente extranho peranto tamanha indelicadeza e descrença.
Não sei você, mas as vezes me perco em lembranças quase mortas...e vibro,pois era bom!
Depois ficou ruim....e hoje, o que é? Não temos respostas; ou temos?

Até breve.
E você tem escrito muito bem.
Não sei se leu até aqui, mas se o fez, responda-me
Talves não te incomode tanto assim.
Um abraço, terno e tênue assim como esse "escrito".

Guilherme Loureiro disse...

Brincadeiras sérias, como todas que provavelmente têm um fundo de verdade. Sentimentos são coisas sérias, por isso é tão dificil fingí-los, se assim não fosse, toda noite seria seria tranquila até a noite que as coisas saíssem do controle...É ruim ter controle sobre tudo, é ruim guardar tanto, não faz bem tentar manter a pose de perfeição aos olhos dos outros. Uma hora a castelo de areia cai, mas existe uma grande beleza neste castelo, e não somente enquanto ele está de pé...Ao cair, restará a lembrança do quanto este castelo era belo, e a realidade da quantidade de areia foi necessária pra arguê-lo.
Não cabe a ninguém julgar ou analisar cada um dos grãos que estão no chão, mas caberá aos que souberem enchergar beleza na vida guardar e saber que toda aquela areia, é aquele castelo que esteve erguido, dotado de milhões de grãos que lhe deram aquela forma tão bela...

Anônimo disse...

Há, obviamente, muito para saber sobre isso. Eu acho que você fez alguns bons pontos de recursos também. Continue trabalhando trabalho, ótimo!